Loalwa Braz, do Kaoma, é assassinada em assalto no Rio de Janeiro

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé
Loalwa Braz era considerada a rainha da Lambada. (Foto: Reprodução/Facebook)

A música nasceu como “Llorando se fue”, lançado em 1981 pelo grupo boliviano Los Kjarkas. Mas foi na voz de Loalwa Braz, do grupo Kaoma, que a música estourou em 1989, com o nome “Lambada”, ou “Chorando se foi”, como ficou internacionalmente conhecida. A canção rompeu barreiras e ficou atemporal, sendo tocada até os dias de hoje em muitas festas e boates. Integrante do álbum de estreia do Kaoma, “Worldbeat”, que também tem o hit “Dançando lambada”, “Chorando se foi” entrou na Europa e outros continentes e colocou, segundo informa o site oficial da cantora, a voz de Loalwa no livro dos recordes como uma das mais ouvidas no mundo. A cantora teve mais de 25 milhões de discos vendidos e mais de 80 discos de ouro e de platina.

Mas na manhã de hoje, 19 de janeiro, o Brasil acordou com o susto: Loalwa Braz foi assassinada em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio. Segundo a polícia, o corpo dela foi encontrado em um carro incendiado depois que homens invadiram a pousada dela, a colocaram no veículo e levaram para a Estrada da Barreira, no Distrito de Bacaxá. A cantora tinha 63 anos e vivia na pousada. Loalwa nasceu no Rio de Janeiro e iniciou a carreira aos 13 anos. Cresceu em meio à música, tendo o pai chefe de uma orquestra popular e a mãe pianista clássica.

Carcaça do carro incendiado onde foi encontrado o corpo da cantora a, em Saquarema (RJ). (Foto: Antonio Carlos/Futura Press/Estadão Conteúdo)

A polícia diz que pelo menos dois criminosos entraram no imóvel nesta madrugada. Funcionários chegaram a relatar que eram quatro invasores. A cantora gritou por socorro, e um funcionário pediu a outro para chamar a polícia. Os dois já prestaram depoimento. Além do carro, uma parte da pousada também foi queimada. No momento do crime, não havia hóspedes no local. A perícia encontrou ainda um botijão de gás dentro do veículo onde estava o corpo de Loalwa (veja imagens do trabalho da polícia abaixo). Nenhum suspeito foi identificado e ainda não são conhecidos os motivos do crime. O caso é investigado pela 124ª Delegacia de Polícia.

O talento de Loalwa garantiu reconhecimento dos maiores da MPB, como Gilberto Gil, Tim Maia, Alcione, Maria Bethania, Emílio Santiago, Gal Costa e Caetano Veloso. Esses cantores chegaram a gravar canções com Loalwa entre 1975 e 1985, ano em que ela passou a morar em Paris, logo após o show “Brésil en Fête”, no Palais des Sports. A cantora se apresentou em templos, como Paradis Latin, Méridien (Paris) e Madison Square Garden. A artista era membro da Academia Francesa de Artes, Ciência e Letras, pela qual foi condecorada com a medalha de prata (Prix Throlet). Em uma das últimas aparições na TV, Loalwa participou do quadro Ding Dong do “Domingão do Faustão”, em maio de 2016.

Curiosidades sobre o hit

  • Estima-se que, na época de seu lançamento, o single de “Lambada” tenha vendido mais de 5 milhões de cópias em todo o mundo, de acordo com o “The New York Times”.
  • O álbum ganhou discos de ouro e platina no Brasil, Canadá e França.
  • Loalwa teve uma carreira de mais de quatro décadas, com cerca de 30 milhões de discos vendidos.
  • “Lambada” alcançou posições de destaque nas paradas de sucessos da Áustria, França, Noruega, Suécia e Suíça, além do Brasil. No Reino Unido, ficou em 4º lugar. Nos Estados Unidos, chegou à 46ª posição no ranking Hot 100 da “Billboard”.
  • A música ganhou regravações na França, Estados Unidos, Dinamarca, Turquia e até Japão. No Brasil, Fafá de Belém, Ivete Sangalo, Nando Reis (em parceria com a banda Calypso), entre outros, também fizeram suas versões.
  • Jennifer Lopez sampleia “Lambada” em seu single “On the Floor”, de 2011. O gênero que se popularizou com a música também é citado em “Spice up your life”, das Spice Girls.

Com informações do G1

 

Seja o primeiro a comentar