Leandro Pedro e a arte-educação no Turano

Um projeto criado por Leandro Pedro, ator, produtor cultural e morador da favela do Turano, no Rio Comprido – Rio de Janeiro, está formando uma trupe contadores de histórias. São 12 jovens, com idades entre 15 e 29 anos, que estão recebendo formação específica que inclui aulas de teatro. Depois de concluírem o curso “Brincar e Contar Histórias” eles vão as casas de moradores e instituições de ensino fomentando a cultura em diferentes comunidades. A ideia é fazer  apresentações criadas pelos próprios alunos com inspiração em narrativas populares, no cotidiano da comunidade e textos literários. Inspire-se nesta história.


 

Valor Atemporal – Você largou seu emprego para investir seu tempo em trabalhos lúdicos que envolvem a contação de histórias, arte-educação e literatura. Sentiu medo do incerto?

Valor Atemporal - Leandro Pedro - projeto Brincar e Contar Histórias - morro do Turano (2)Leandro Pedro – Vim de uma família muito pobre, sou filho de pais analfabetos, morador da favela e ser artista não parecia ser boa escolha. Mas, trabalhar com arte era meu sonho, sempre estive envolvido com teatro e literatura. Senti medo antes de iniciar, achava que não daria certo. Diziam que artista pobre não ganha dinheiro, então, estudei em colégios e faculdade pública pra ser “alguém”. Passei pra faculdade com cota de baixa renda e me formei na área de Tecnologia. Trabalhei como documentador de software, analista de sistemas, suporte, produção de sites… Eu não estava realmente feliz. Odiava as segundas-feiras, mesmo tendo trabalhado em ambientes bacanas e com pessoas amigáveis. Quando tive coragem de abrir mão da minha carreira para ser produtor cultural e artista busquei estudar a área, fiz cursos, conheci pessoas, montei minha rede de contatos. O medo se foi e ficou a vontade de fazer dar certo. Não foi uma escolha fácil e ainda não é. Como qualquer outro empreendedor, vivo correndo em busca de novos projetos, ideias e trabalhos. Luto para que barreiras sociais não sejam um fator determinante para acabar com os sonhos de crianças, jovens ou adultos.


Como a contação de histórias pode mudar a realidade de uma comunidade?

A única coisa que temos são histórias e elas são capazes de valorizar ou depreciar. Dois carros, de um mesmo modelo do ano 86, podem ter valores completamente diferentes quando um tem história e o outro não, por exemplo. Nos inspiramos em histórias, sejam dos nossos ídolos ou dos nossos pais. Elas nos movem e traçam nossos objetivos de vida. É muito triste não ter histórias para se inspirar, não ter histórias que provoquem sermos protagonistas de nossas próprias vidas. É aqui que nasce a importância da contação de histórias em uma tribo, em uma comunidade, em uma sociedade.

Valor Atemporal - Leandro Pedro - projeto Brincar e Contar Histórias - morro do Turano (6)Como são as aulas?

O curso de Formação de Jovens Contadores são gratuitas, ocorrem dentro da comunidade do Turano. Neste curso os alunos têm duas aulas por semana, cada aula com duração de 2 horas. Nas terças as aulas são comigo. Nas quintas é dia de aula com Fernanda Paixa, formada Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Cada participante  aprende a desenvolver histórias com objetos comuns do cotidiano, são estimulados a apresentar histórias para serem ritmadas e sonorizadas. O curso  leva jogos cênicos e exercícios  vocais, trazendo possibilidade  de contar  história  utilizando    objetos, ensina técnicas de contação de histórias, teatro e a  vivência de brincadeiras de quintal e cantigas populares. Os alunos selecionados deveriam ter entre 15 e 29 anos; estar no ensino médio ou ter concluído; além de serem moradores de favela.

Este é um projeto permanente ou com duração de 15 apresentações?

Este é projeto só pôde ser iniciado pois ganhou um edital da Secretaria Estadual de Cultural do Rio de Janeiro em conjunto com a empresa Light e outros apoiadores, além disso o Espaço Fazendo Arte, localizado na Comunidade do Turano, nos cedeu uma sala para as aulas. O projeto recebeu aporte para que ele dure seis meses e ao final os alunos farão cinco apresentações em casas de moradores das comunidades e dez apresentações em instituições de diversas comunidades. Não queremos que pare, por isso, já estamos buscando, enlouquecidamente, novos parceiros.

Valor Atemporal - Leandro Pedro - projeto Brincar e Contar Histórias - morro do Turano (8)E quem quiser ajudar como faz? 

Os interessados em patrocinar o projeto seja com verba direita, leis de incentivo ou apoios de lanches, material ou outros pode entrar em contato conosco por e-mail leandro.marvin@gmail.com ou no site www.leandros.com.br
Estamos ensinando nas dependências da ONG – FAZENDO ARTE, no Turano. É um espaço que continua aberto porque há muito esforço e quase nenhum apoio. Quem quiser e puder apoiar é só entrar em contato com o coordendador geral evandromachado@fazendoarte.org.br ou no site www.fazendoarte.org.br

Você não desistiu. Lutou, estudou, tornou seu sonho em realidade, conseguiu alguns apoiadores e agora ajuda outras pessoas. A quem dedica tudo isso?

Dedico a minha mamãe linda, que sempre me apoiou. A Ana, irmã mais velha que cuida de mim com muito carinho e alguns puxões de orelha. Ao Victor Dezeva, que um dia me disse que humanos vivem em caixas e todas as caixas podem ser rompidas. Ele me ajudou a romper as minhas. Gratidão aos meus professores.  

 

Para participar do projeto. Há previsão de nova seleção de alunos no final de Julho. As inscrições podem ser feitas pelo site www.leandros.com.br

 

 

Seja o primeiro a comentar