Espinafre pode ser fonte de biocombustível

Estudo publicado na revista científica Science pesquisadores avaliaram o potencial das proteínas envolvidas na fotossíntese, processo pelo qual as plantas convertem a energia solar em hidratos de carbono, que são a base alimentar dos processos celulares. As análises dos cientistas apontaram o espinafre como sendo uma hortaliça capaz de converter a luz solar em um combustível renovável, limpo e ultra eficiente. Cientistas da Universidade de Purdue, nos EUA, um dos centros envolvidos no estudo, extraíram de espinafres – que podem ser comprados em supermercados – um complexo de proteína chamado fotossistema II.

As-propriedades-do-espinafre_0Os pesquisadores estimularam, em laboratório, essas proteínas usando um laser (que fez as vezes de luz solar) e registraram mudanças na configuração das moléculas. Agora os cientistas esperam entender melhor todo o processo e, com isso, alavancar o desenvolvimento de tecnologias limpas a partir da fotossíntese artificial, gerando combustíveis renováveis e limpo.
Se na ficção o espinafre é famoso por ser o elixir da superforça do marinheiro Popeye, na vida real ele pode vir a servir como biocombustível.

Na alimentação o vegetal já tem inúmeros benefícios. Segundo estudos ligados ao Ayurveda, milenar medicina natural indiana, auxilia na digestão, previne a constipação, mantém baixo nível de açúcar no sangue, possui propriedades anti-cancerígenas, anti-inflamatórias, é um poderoso antioxidante rico em vitaminas C, E, K, beta-caroteno, selênio, manganês, zinco, capazes de combaterem osteoporose, aterosclerose, hipertensão, catarata, aumenta a imunidade, promove a pele saudável combatendo a psoríase, queratinização, acne e contribui para o melhor desempenho e funcionamento do sistema nervoso.

Aliás, essa não é a primeira vez que o espinafre aparece como promessa energética. Em 2012, cientistas da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, tiveram ótimos resultados na produção de energia solar com a hortaliça.

Seja o primeiro a comentar