Conheça a história de fé, devoção e coragem por trás dos escapulários

Os escapulários, artigo religioso utilizado geralmente como sinal de proteção e fé, tiveram sua origem na chamada Ordem dos Carmelitas em Israel, por volta de 1200 d.C. A Ordem dos Carmelitas, inicialmente, era composta de um grupo pequeno de monges que ergueram uma capela em homenagem a Nossa Senhora no Monte Carmelo, em Israel, no ano de 1200 d.C. Mesmo com o propósito digno, o grupo ainda não era oficialmente aceito pela Igreja Católica Romana.

Com a invasão dos muçulmanos na terra santa pouco tempo depois, os monges da Ordem dos Carmelitas foram expulsos do templo que ergueram e forçados a ir rumo à Europa. Entretanto, lá eles não eram aceitos de forma alguma e sofriam terríveis exclusões e preconceitos, até por parte da própria Igreja católica. Com a pressão da sociedade e da igreja, a Ordem dos Carmelitas estava prestes a ser vetada e assim, jamais seria reconhecida como uma ordem cristã devota. Porém as ações de um homem mudariam tudo.

Simão Stock era o superior geral da Ordem dos Carmelitas em 1251 e possuía diversas angústias por conta da situação da ordem naquele tempo. Como exemplo de sua devoção e fé, o monge se colocou a rezar para pedir ajuda a quem ele servia. No dia 16 de julho de 1251, Stock rezou no convento de Cambridge, na Inglaterra, pedindo a Nossa Senhora um sinal de sua proteção, um sinal que seus inimigos pudessem enxergar claramente. Segundo contam os religiosos, ele foi então presenteado pela santíssima com um escapulário. Nossa Senhora lhe incumbiu também uma promessa: “Recebe, filho amado, este escapulário. Todo aquele que com ele morrer, não padecerá a perdição no fogo eterno. Ele é sinal de salvação, defesa nos perigos, aliança de paz e pacto sempiterno”.

EVOLUÇÃO

Após receber o escapulário, Simão Stock levou o caso até a Igreja e, mesmo com muita relutância de alguns clérigos, a Ordem dos Carmelitas foi aceita como uma ordem religiosa digna e pertencente às crenças cristãs. A partir daí, os escapulários passaram a ser utilizados por todos os monges carmelitas como forma de proteção e símbolo da sua devoção por Nossa Senhora do Carmo. Na época, o artigo era feito de pano e cobria quase que todo o corpo de quem o usava.

Com o passar do tempo, os devotos solicitaram uma forma de carregarem consigo este símbolo de sua devoção. Surgiu o Escapulário Devocional. Menor que o seu equivalente monástico, o escapulário devocional é formado por duas pequenas placas com imagens santas ou textos, unidas por uma corrente ou cordão feito de aço ou metais preciosos e pode ser usado por qualquer um que tenha devoção à igreja e à Nossa Senhora. O escapulário comercializado nos dias atuais pode ser ornamentado de várias formas, inclusive incrustado de joias e com correntes de ouro. Mas existem modelos mais simples, feito apenas de prata ou em metais menos nobres.

Usar um escapulário representa ter um compromisso de fidelidade com Deus. Dessa forma, crer que será dado a nós tudo o que Ele julgar como o melhor para a nossa salvação. Ser presenteado com um objeto desses é receber a missão de seguir os ensinamentos de Nossa Senhora como fé, esperança e caridade. Ele é um estímulo para que vivamos melhor e para que olhemos com esperança para a vida todos os dias.

VOCÊ SABIA?
O nome “Ordem dos Carmelitas” vem da expressão “aqueles que vivem a espiritualidade do Monte Carmelo”, o monte sagrado tanto para judeus quanto para cristãos. Além disso, a expressão “Nossa Senhora do Carmo” quer dizer “Nossa Senhora do Monte Carmelo”, onde os monges viviam inicialmente.

Seja o primeiro a comentar