Feriado! Roteiros de graça ou bem baratinhos para fazer no Rio de Janeiro

(Atualizado em 25/06/2016)

O Rio de Janeiro tem ótimas opções de passeios baratos e de graça para quem deseja conhecer a cidade ou aproveitar feriados fora de casa. Monumentos, passeios ao ar livre, avenidas históricas, parques municipais, centros culturais, espetáculos teatrais e muito mais. Listamos sugestões de roteiros grátis ou quase de graça para você se divertir na cidade.

Esta é a última semana para assistir a peça "O Diabo não pode ser pop", em cartaz no Teatro II, do Sesc Tijuca. As apresentações acontecerão sexta (27), sábado (29) e domingo (29). Com Hernane Cardoso, Daniel Belmonte, Antônio Valladares e Luana Manuel no elenco, direção de Pedro Cadore e texto de Bruno Bloch e Rodrigo Salomão, o cenário da história é o inferno. O Diabo está em estado de choque, pois acabou de escutar a notícia mais surpreendente dos últimos tempos: seu índice de aprovação no inferno não poderia ser maior. Segundo os resultados das pesquisas mais recentes, o Senhor das Trevas não só é considerado um homem extremamente popular, como também é querido, respeitado e admirado por todo o território infernal. Enquanto outros “governantes” receberiam tal novidade com um sorriso no rosto, o Diabo, pelo contrário, não está nem um pouco feliz e fará de tudo para a vida no inferno virar um verdadeiro caos. O objetivo da peça é fazer uma crítica com o atual cenário do país e fazer o público refletir sobre isso. Os ingressos custam R$ 8,00 (inteira) e R$ 2,00 (sócios do Sesc). Foto: Maria Soares/Divulgação
TEATRO. Esta é a última semana para assistir a peça “O Diabo não pode ser pop”, em cartaz no Teatro II, do Sesc Tijuca. As apresentações acontecerão sexta (27), sábado (29) e domingo (29). Com Hernane Cardoso, Daniel Belmonte, Antônio Valladares e Luana Manuel no elenco, direção de Pedro Cadore e texto de Bruno Bloch e Rodrigo Salomão, o cenário da história é o inferno. O Diabo está em estado de choque, pois acabou de escutar a notícia mais surpreendente dos últimos tempos: seu índice de aprovação no inferno não poderia ser maior. Segundo os resultados das pesquisas mais recentes, o Senhor das Trevas não só é considerado um homem extremamente popular, como também é querido, respeitado e admirado por todo o território infernal. Enquanto outros “governantes” receberiam tal novidade com um sorriso no rosto, o Diabo, pelo contrário, não está nem um pouco feliz e fará de tudo para a vida no inferno virar um verdadeiro caos. O objetivo da peça é fazer uma crítica com o atual cenário do país e fazer o público refletir sobre isso. Os ingressos custam R$ 8,00 (inteira) e R$ 2,00 (sócios do Sesc). Foto: Maria Soares/Divulgação
MÚSICA. De 25 a 27 de maio (quarta a sexta-feira), a partir das 18h30, a CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta o projeto Gosto se Discute?. O cineasta e produtor musical Luiz Fernando Borges e o jornalista Antônio Carlos Miguel disputam uma espécie de “game” onde cada um defenderá um artista. O DJ Sandro Machintal anima a disputa, com intervenções musicais e exibição de vídeos. Cada encontro será dedicado a um gênero musical, sendo duas disputas por noite. O primeiro é dedicado ao jazz (Billie Holiday versus BlossomDearie e Duke Ellington versus Billy Strayhorn). O segundo evento trata de pop-rock (Janis Joplin e Laura Nyro;  David Bowie e Bob Dylan). O terceiro e último encontro, em 27 de maio, será sobre MPB (Nara Leão e Nana Caymmi; Renato Russo e Cazuza).
MÚSICA. De 25 a 27 de maio (quarta a sexta-feira), a partir das 18h30, a CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta o projeto Gosto se Discute?. O cineasta e produtor musical Luiz Fernando Borges e o jornalista Antônio Carlos Miguel disputam uma espécie de “game” onde cada um defenderá um artista. O DJ Sandro Machintal anima a disputa, com intervenções musicais e exibição de vídeos. Cada encontro será dedicado a um gênero musical, sendo duas disputas por noite. O primeiro é dedicado ao jazz (Billie Holiday versus BlossomDearie e Duke Ellington versus Billy Strayhorn). O segundo evento trata de pop-rock (Janis Joplin e Laura Nyro; David Bowie e Bob Dylan). O terceiro e último encontro, em 27 de maio, será sobre MPB (Nara Leão e Nana Caymmi; Renato Russo e Cazuza).
ARTES VISUAIS. ComCiência – Patricia Piccinini. A instalação tem curadoria de Marcello Dantas e traz questões ligadas as mutações genéticas para o território da arte. A artista australiana apresenta um universo de criaturas desconhecidas, que passeiam entre a afetuosidade e o choque visual. A mostra em cartaz no CCBB-Rio até 27 de junho, trabalha o neologismo que carrega sentido duplo, conectando consciente e ciência, propondo ao público um percurso narrativo entre esculturas, desenhos, fotografias e vídeos. Rua Primeiro de Março, 66 - Centro. de quarta a segunda, das 9h às 21h.
ARTES VISUAIS. ComCiência – Patricia Piccinini. A instalação tem curadoria de Marcello Dantas e traz questões ligadas as mutações genéticas para o território da arte. A artista australiana apresenta um universo de criaturas desconhecidas, que passeiam entre a afetuosidade e o choque visual. A mostra em cartaz no CCBB-Rio até 27 de junho, trabalha o neologismo que carrega sentido duplo, conectando consciente e ciência, propondo ao público um percurso narrativo entre esculturas, desenhos, fotografias e vídeos. Rua Primeiro de Março, 66 – Centro. de quarta a segunda, das 9h às 21h.
Contação de histórias cantadas. Em sua terceira obra, a escritora e produtora cultural Janine Rodrigues aposta numa história de terror para divertir a garotada. Em ‘Histórias do Velho Nestor, contando seus contos de horror”, Janine mexe com o imaginário infantil ao retratar um ser medonho que assusta a todos na cidade. A história, que apresenta momentos de arrepios, mas também de emoção, suspense e alegrias, aborda valores como respeito, confiança e amizade. O lançamento acontece no próximo dia 29/05 (domingo), às 16h, com contação de histórias, tarde de autógrafos e outras atividades gratuitas voltadas para o público infantil. Livraria da Travessa, que fica na Rua Voluntários da Pátria, 97 – Botafogo. Classificação indicada: 4 à 9 anos, mas o programa é para toda a família. Grátis.
Contação de histórias cantadas. Em sua terceira obra, a escritora e produtora cultural Janine Rodrigues aposta numa história de terror para divertir a garotada. Em ‘Histórias do Velho Nestor, contando seus contos de horror”, Janine mexe com o imaginário infantil ao retratar um ser medonho que assusta a todos na cidade. A história, que apresenta momentos de arrepios, mas também de emoção, suspense e alegrias, aborda valores como respeito, confiança e amizade. O lançamento acontece no próximo dia 29/05 (domingo), às 16h, com contação de histórias, tarde de autógrafos e outras atividades gratuitas voltadas para o público infantil. Livraria da Travessa, que fica na Rua Voluntários da Pátria, 97 – Botafogo. Classificação indicada: 4 à 9 anos, mas o programa é para toda a família. Grátis.
CONCERTO. A Série de concertos PRELÚDIO 21 – MÚSICA DO PRESENTE segue sua temporada 2016 no teatro do Centro Cultural Justiça Federal, no Centro, e, no dia 28 de maio, sábado, às 15h, o grupo carioca de compositores vai convidar o Quinteto Lorenzo Fernandez para interpretar suas obras para quinteto de sopro. No repertório estão as músicas “Serra da Mantiqueira”, de Alexandre Schubert; “As cidades ocultas”, de Caio Senna, “Intempérier”, de Neder Nassaro; “Quintus”, de José Orlando Alves e “Palácio dos Ventos”, de Marcos Lucas, além de “Man and Society”, de Sergio Roberto de Oliveira, que integra o CD “Música Carioca de Concerto”, disco de estréia do quinteto, lançado em dezembro. A série se destaca como a única permanente de música contemporânea na cidade do Rio de Janeiro, e vem sendo considerada uma das mais importantes do Brasil. Centro Cultural Justiça Federal (Teatro), Av. Rio Branco, 241 – Centro. Horário: 15h. Tel. (21) 3261-2550. Entrada Franca – Distribuição de senhas meia-hora antes. Classificação Livre.
CONCERTO. A Série de concertos PRELÚDIO 21 – MÚSICA DO PRESENTE segue sua temporada 2016 no teatro do Centro Cultural Justiça Federal, no Centro, e, no dia 28 de maio, sábado, às 15h, o grupo carioca de compositores vai convidar o Quinteto Lorenzo Fernandez para interpretar suas obras para quinteto de sopro. No repertório estão as músicas “Serra da Mantiqueira”, de Alexandre Schubert; “As cidades ocultas”, de Caio Senna, “Intempérier”, de Neder Nassaro; “Quintus”, de José Orlando Alves e “Palácio dos Ventos”, de Marcos Lucas, além de “Man and Society”, de Sergio Roberto de Oliveira, que integra o CD “Música Carioca de Concerto”, disco de estréia do quinteto, lançado em dezembro. A série se destaca como a única permanente de música contemporânea na cidade do Rio de Janeiro, e vem sendo considerada uma das mais importantes do Brasil. Centro Cultural Justiça Federal (Teatro), Av. Rio Branco, 241 – Centro. Horário: 15h. Tel. (21) 3261-2550. Entrada Franca – Distribuição de senhas meia-hora antes. Classificação Livre.
O JARDIM BOTÂNICO é um santuário ecológico no Rio de Janeiro. Palmeiras imperiais fascinam quem chega ao Jardim Botânico. Lá é possível relaxar, estudar, piquenique e se conectar com a natureza. Fundado em 1808, o local é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. São mais de 6 mil espécies de planta, algumas ameaçadas de extinção, distribuídas em 54 hectares. Vale passeio pelo Orquidário e Biblioteca, cujo acervo consta de 66 mil volumes, sendo 3 mil obras raras. Não deixe de ir ao Chafariz Central. Nele, quatro figuras representam a música, a poesia, a ciência e a arte. A Casa dos Pilões é um núcleo arqueológico que remonta a atividade da antiga fábrica de pólvora. No Jardim Japonês (1935) está a delicadeza da cultura japonesa com seus bonsais, cerejeiras, bambuzais e lagos artificiais com carpas. O Museu do Meio Ambiente é o primeiro da América Latina a tratar de temas socioambientais. Rua Jardim Botânico, 920 (pedestres) e 1008 (veículos) - Jardim Botânico. Telefone: (21) 3874-1214. Ingressos: R$ 10,00 e gratuidade para crianças até 7 anos e adultos a partir de 60 anos. (Foto: Pedro Kirilos/Riotur)
O JARDIM BOTÂNICO é um santuário ecológico no Rio de Janeiro. Palmeiras imperiais fascinam quem chega ao Jardim Botânico. Lá é possível relaxar, estudar, piquenique e se conectar com a natureza. Fundado em 1808, o local é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. São mais de 6 mil espécies de planta, algumas ameaçadas de extinção, distribuídas em 54 hectares. Vale passeio pelo Orquidário e Biblioteca, cujo acervo consta de 66 mil volumes, sendo 3 mil obras raras. Não deixe de ir ao Chafariz Central. Nele, quatro figuras representam a música, a poesia, a ciência e a arte. A Casa dos Pilões é um núcleo arqueológico que remonta a atividade da antiga fábrica de pólvora. No Jardim Japonês (1935) está a delicadeza da cultura japonesa com seus bonsais, cerejeiras, bambuzais e lagos artificiais com carpas. O Museu do Meio Ambiente é o primeiro da América Latina a tratar de temas socioambientais. Rua Jardim Botânico, 920 (pedestres) e 1008 (veículos) – Jardim Botânico. Telefone: (21) 3874-1214. Ingressos: R$ 10,00 e gratuidade para crianças até 7 anos e adultos a partir de 60 anos. (Foto: Pedro Kirilos/Riotur)
PARQUE NACIONAL DA TIJUCA/FLORESTA DA TIJUCA. É a maior área verde do Rio de Janeiro. Ótima opção para fugir do barulho da cidade, respirar ar fresco e puro. Dá para chegar aos seus mirantes à pé ou de bicicleta (tenha disposição para andar em subidas de nível fácil, médio e difícil) e também de carro (são poucos os pontos de estacionamento). Dá para fazer trilhas pela mata até as cachoeiras, mas o ideal é que tenha a companhia de um guia. Sua vegetação é secundária, fruto de reflorestamento iniciado em 1862, por ordem de Dom Pedro II. O local é perfeito para quem ama estar em contato com a natureza e desfrutar as belezas do Rio de Janeiro sob um novo ângulo, muito acima do nível do mar. A dica é dar uma paradinha no Centro de Visitantes e pegar um mapa. Estr. da Cascatinha, 850 - Alto da Boa Vista. Todos os dias das 8h às 17h.
PARQUE NACIONAL DA TIJUCA/FLORESTA DA TIJUCA. É a maior área verde do Rio de Janeiro. Ótima opção para fugir do barulho da cidade, respirar ar fresco e puro. Dá para chegar aos seus mirantes à pé ou de bicicleta (tenha disposição para andar em subidas de nível fácil, médio e difícil) e também de carro (são poucos os pontos de estacionamento). Dá para fazer trilhas pela mata até as cachoeiras, mas o ideal é que tenha a companhia de um guia. Sua vegetação é secundária, fruto de reflorestamento iniciado em 1862, por ordem de Dom Pedro II. O local é perfeito para quem ama estar em contato com a natureza e desfrutar as belezas do Rio de Janeiro sob um novo ângulo, muito acima do nível do mar. A dica é dar uma paradinha no Centro de Visitantes e pegar um mapa. Estr. da Cascatinha, 850 – Alto da Boa Vista. Todos os dias das 8h às 17h.
QUINTA DA BOA VISTA. Abriga o zoológico mais antigo do Brasil inaugurado em 1945 e o Museu Nacional, maior da América em acervo de história natural e antropológica. Pertence à UFRJ, mas já foi residência de membros da família real portuguesa. Nas coleções há desde meteoritos, passando por múmias e ossadas de dinossauros. Já o parque Quinta da Boa Vista é uma grande área verde de Mata Atlântica, proporciona momentos de lazer e descanso. Vale fazer piquenique na lagoa ou sob a copa de árvores frondosas; dar uma caminhada, passear de bike ou triciclos; fazer canoagem no lago, ler livros e meditar. RioZoo: terça a domingo, de 9h às 16h30. Quanto custa: R$ 10,00 ou 5,00 (meia entrada) Museu Nacional. Quinta da Boa Vista, São Cristóvão, tel. 2562-6900. Terça a domingo, 10 às 16h. Informações em http://www.museunacional.ufrj.br (Foto: Marcos Gusmão/Divulgação Museus do Rio)
QUINTA DA BOA VISTA. Abriga o zoológico mais antigo do Brasil inaugurado em 1945 e o Museu Nacional, maior da América em acervo de história natural e antropológica. Pertence à UFRJ, mas já foi residência de membros da família real portuguesa. Nas coleções há desde meteoritos, passando por múmias e ossadas de dinossauros. Já o parque Quinta da Boa Vista é uma grande área verde de Mata Atlântica, proporciona momentos de lazer e descanso. Vale fazer piquenique na lagoa ou sob a copa de árvores frondosas; dar uma caminhada, passear de bike ou triciclos; fazer canoagem no lago, ler livros e meditar. RioZoo: terça a domingo, de 9h às 16h30. Quanto custa: R$ 10,00 ou 5,00 (meia entrada) Museu Nacional. Quinta da Boa Vista, São Cristóvão, tel. 2562-6900. Terça a domingo, 10 às 16h. http://www.museunacional.ufrj.br (Foto: Marcos Gusmão/Divulgação Museus do Rio)
Centro/Lapa/Cinelândia. Chova ou faça sol os guias “Amarelinhos” da Rio Free Walking Tour estão na Cinelândia, pontualmente às 9h30 em frente ao Theatro Municipal, para dar partida a viagem totalmente grátis pela histórica e cultural do Centro do Rio. O tour à pé tem duração de três horas e passa por lugares turísticos como a escadaria Selarón, Arcos da Lapa, Catedral Metropolitana, Theatro Municipal, Câmara Municipal Palácio Pedro Hernesto, Biblioteca Nacional, Convento de Santo Antônio no Largo da Carioca, Confeitaria Colombo, CCBB, Centro Cultural dos Correios, Praça XV, Paço Imperial, Arco do Teles e muito mais. Localizá-los é fácil, eles usam camisetas e guarda-chuvas amarelos. O formato de passeio foi inspirado no modelo europeu de turismo. Um gorjetinha ao final, cai bem, mas não é obrigatório. Dica: use roupas e calçados confortáveis. www.riofreewalkingtour.com (Foto: Divulgação/Rio Free Walking Tour)
Centro/Lapa/Cinelândia. Chova ou faça sol os guias “Amarelinhos” da Rio Free Walking Tour estão na Cinelândia, pontualmente às 9h30 em frente ao Theatro Municipal, para dar partida a viagem totalmente grátis pela histórica e cultural do Centro do Rio. O tour à pé tem duração de três horas e passa por lugares turísticos como a escadaria Selarón, Arcos da Lapa, Catedral Metropolitana, Theatro Municipal, Câmara Municipal Palácio Pedro Hernesto, Biblioteca Nacional, Convento de Santo Antônio no Largo da Carioca, Confeitaria Colombo, CCBB, Centro Cultural dos Correios, Praça XV, Paço Imperial, Arco do Teles e muito mais. Localizá-los é fácil, eles usam camisetas e guarda-chuvas amarelos. O formato de passeio foi inspirado no modelo europeu de turismo. Um gorjetinha ao final, cai bem, mas não é obrigatório. Dica: use roupas e calçados confortáveis. www.riofreewalkingtour.com (Foto: Divulgação/Rio Free Walking Tour)
Centro de Tradições Nordestinas. Carinhosamente chamada de "Feira de São Cristóvão" é uma verdadeira miscelânia de mercearia, gastronomia, decoração e música do Nordeste. O pavilhão tem dois palcos para apresentações de artistas nordestinos e renomados cantores da música popular brasileira. Durante o passeio é possível dançar forró, comprar roupas, objetos de decoração e soborear carne de sol com farofa de paçoca; purê de macaxeira; comprar manteiga de garrafa, bolo de rolo, doces e o famoso Guaraná Jesus, refrigerante cor de rosa muito popular no Maranhão. Campo de São Cristóvão, s/n, São Cristóvão, tel. 2580-5335. Informações em www.feiradesaocristovao.org
CENTRO DE TRADIÇÕES NORDESTINAS. Carinhosamente chamada de “Feira de São Cristóvão” é uma verdadeira miscelânia de mercearia, gastronomia, decoração e música do Nordeste. O pavilhão tem dois palcos para apresentações de artistas nordestinos e renomados cantores da música popular brasileira. Durante o passeio é possível dançar forró, comprar roupas, objetos de decoração e soborear carne de sol com farofa de paçoca; purê de macaxeira; comprar manteiga de garrafa, bolo de rolo, doces e o famoso Guaraná Jesus, refrigerante cor de rosa muito popular no Maranhão. Campo de São Cristóvão, s/n, São Cristóvão, tel. 2580-5335.  www.feiradesaocristovao.org

Seja o primeiro a comentar